segunda-feira, 6 de outubro de 2014

O APETITE SEXUAL EXCESSIVO É UMA DOENÇA?

Já ouviu falar em ninfomania? Ou quem sabe em satiríase? Pois é, estes são nomes dados ao desejo sexual hiperativo (DSH) em mulheres e homens, respectivamente.
“É uma doença? É normal? Faz parte da natureza humana?”

Bom, o nível de apetite sexual só é classificado como transtorno psicológico quando começa a afetar a vida social/afetiva do indivíduo. Ou seja, seu desejo sexual interfere negativamente na sua rotina de trabalho, nos seus relacionamentos afetivos, passeios, eventos e etc. O DSH se encaixa melhor na categoria “vícios”, pois assim como todos os outros, é um gerador de prazer que foge completamente do controle.

A pessoa que sofre deste transtorno deseja o sexo incessante, quer alcançar o orgasmo várias vezes seguidas, custe o que custar. O ato sexual e masturbação normalmente é seguida de culpa e arrependimento, o que não impede de continuar em busca do prazer através do sexo, assim como acontece com qualquer outro vício.

Veja o relato de duas pessoas distintas que sofrem deste mal que tive a oportunidade de aconselhar:
“Por mim faria o sexo o dia todo, todos os dias. Acho que quando casar vai melhorar… Vou poder transar umas 10 vezes ao dia. Isso é normal né?” (mulher jovem solteira)
“Eu quero sexo o tempo todo. Quando não tenho me masturbo… Não penso em outra coisa. É 24 por dia, 7 dias na semana, 365 dias no ano, sem interrupção.” (homem de 28 anos casado)

Agora observe o relato dos parceiros destas pessoas, respectivamente:
“Não consigo satisfazer minha namorada, ela é insaciável. Não sei se dou conta disso, é desesperador. Ficamos até assados, machucados… Não consigo manter a ereção, preciso de viagra pra dar conta. Não quero entrar num casamento assim…”

“Eu me sinto um lixo, impotente, não sou capaz de suprir meu marido. Faço sexo 3 vezes ao dia e ele vive se masturbando pelos cantos. Parece um filme de terror. Não tenho vontade de viver… Eu sou o problema? Preciso de mais fogo? Será que sou frígida demais? Ele fala que sim…”

O apetite sexual excessivo pode destruir vidas, relacionamentos e famílias inteiras. Se sofre deste mal, precisa agir o quanto antes!
Como identificar se sofro desse distúrbio? Aqui estão os principais sintomas:
– O indivíduo passa por cima de qualquer limite de certo e errado para obter o sexo: adultério, pornografia, swing, prostituição, masturbação descontrolada, sexo em locais inapropriados, com pessoas comprometidas e etc. 

Não mede consequências e com frequencia coloca em jogo a vida do cônjuge, filhos, seu emprego, amizades e relacionamentos em geral;
– Fantasias sexualmente excitantes frequentes e intensas, impulsos ou comportamentos sexuais “anormais” que persistam durante um período de pelo menos seis meses.

 O que entendemos por anormal? Tudo aquilo que foge do sexo convencional dentro de um relacionamento afetivo maduro e saudável;
– As fantasias, impulsos ou comportamentos sexuais causam desconforto ou comprometimento na sua vida social, trabalho, amizades e relacionamentos afetivos;
– Os sintomas não estão relacionados ao uso de drogas ou estimulantes;
– Doença de Pick, lesões cerebrais, sífilis e demências também podem causar um aumento na sexualidade, impulsividade e obsessão sexual além de outros comportamentos socialmente inadequados similares.[1]

Se suspeita que sofre deste transtorno, quero te dar uma boa notícia: há uma saída. O primeiro passo para a cura é reconhecer. Quanto mais negar aos outros e a si mesmo, mais destruição trará para sua vida e para vida daqueles que ama. Se permanecer preso a este transtorno, dificilmente conseguirá construir uma família e manter uma vida equilibrada.

A terapia cognitivo-comportamental  é uma destas saídas. Ela ensina o paciente a controlar seus impulsos e a manter relacionamentos sexualmente saudáveis e satisfatórios. Pode também ser voltada para o desenvolvimento de habilidades para lidar melhor com a ansiedade, desconforto e carência afetiva.[2]

Existem também antidepressivos que regulam a serotonina e podem ajudar a diminuir a libido, a ansiedade, os pensamentos obsessivos e aumentar o auto-controle e bom humor. Psicoterapia de casal e psicoterapia de grupo especialmente voltada para adicção sexual também tem demonstrado bons resultados.[3] [4]

Para os que creem na existência de Deus e na Bíblia como verdade e regra de fé, deve estar ciente do mundo espiritual: “pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais”. Efésios 6:12

Existem poderes malignos atuando em todas as áreas, nos cercando por todos os lados: “Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar”. 1 Pedro 5:8

Tive a oportunidade de acompanhar o caso de uma moça com suspeita de ninfomania. Durante o processo ela confessou estar totalmente envolvida com forças malignas. O espírito que ela recebia tem o nome de “pomba gira”, um demônio relacionado a área sexual. Resumindo, depois de muita conversa, ela reconheceu que a única forma de trilhar um caminho de vida, salvação e libertação, era Cristo. 

Ela optou por conhecer e viver a vontade Dele. A luta continua. Ela se dipos a estudar a Palavra e aos poucos está recebendo conhecimento e discernimento do alto, o que não dispensa o acompanhamento de um profissional, é claro. Creio que muito em breve estará liberta.

Assim como qualquer outro vício, existem portas que te levarão mais para dentro e outras para mais longe deste transtorno. Se são amizades, corte-as. Se é a internet, corte-a. Se é a TV, corte-a. Se é o celular, jogue-o no lixo. O que é melhor, viver uma vida equilibrada e harmoniosa sem estas portas ou acabar num inferno (ainda em vida) com todas elas? A escolha é toda sua.
Falo em amor,

Dani


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Pastor Josué Gonçalves - 12 Verdades que toda Mulher gostaria que os Hom...

AGORA SOU EU QUE PRECISO DE SUA AJUDA.
AQUÍ HA 2 MANEIRAS EM QUE VOCE PODE ME AJUDAR:

1– POR FAVOR VISITE MEU BLOG http://oracaoemlinguas.blogspot.com.br/ E VISITE (CLIQUE) OS ANUNCIOS DO GOOGLE QUE APARECEM NA BARRA LATERAL. FAZENDO ISSO VOCE ESTARA AJUDANDO-ME A CONTINUAR ESTE MINISTERIO.
2- PRECISO LEVANTAR UMA CONSIDERAVEL QUANTIA $$$$ PARA PUBLICAR UM LIVRO : “Milagres Financeiros
DEPOSITO BANCARIO A NOME DE : Ariston V C Junior
BANCO: ITAU
AGENCIA: 8260
CONTA Corrente:23926-7
CIDADE: Caruaru

SUA OFERTA E INVESTIMENTO NO REINO DE DEUS E
ELE CERTAMENTE ABENCOARA SUAS FINANCAS.
QUE DEUS O ABENCOE!

Igreja Apostolica ADONAI: Pr Josué Goncalves Sexo no casamento

Igreja Apostolica ADONAI: Pr Josué Goncalves Sexo no casamento

quarta-feira, 13 de agosto de 2014


8 passos para resgatar o amor num casamento desgastado

            

O desgaste no casamento não começa de um dia para o outro, é como uma correia dentada, peça essencial no funcionamento do carro, quando utilizada por anos a fio sem qualquer cuidado e manutenção acaba desgastada e se quebrar provoca graves prejuízos interrompendo o funcionamento do veículo.

Obviamente nem todos querem interromper o casamento, a peça fundamental dessa união se chama amor a qual não pode ser substituída. Para não ocorrer o desgaste é preciso realizar a manutenção, caso esteja desgastada, será necessário resgatá-la para não perder o que foi conquistado.

Há histórias surpreendentes de resgate do corpo de bombeiros, eles não medem esforços para salvar uma vida, se necessário perderiam a própria vida em troca daquele que necessita de socorro, mas eles sabem muito bem o que estão fazendo, são preparados para resgatar vidas.

Muitas vezes o cônjuge pede por socorro em silêncio e precisa da sua ajuda. Os dois ainda se amam e para resgatar o amor num casamento você precisará agir como se fosse um bombeiro. E como fazer isso?

1. Atitude
A iniciativa terá que partir de um dos dois. O desgaste no casamento acaba afastando um do outro e na maioria das vezes quase não existe diálogo. Não espere que as coisas aconteçam, tome uma atitude, dê o primeiro passo e seja o ponto de partida.

2. Não meça esforços
Não se iluda de que na primeira tentativa trará seu cônjuge para mais perto de você, e nem desanime com a frustração de que só você faz a sua parte. No ponto em que se encontram o orgulho tomou conta de ambos e a discussão não levará a lugar nenhum; será necessário colocar o orgulho de lado e se humilhar e fazer várias tentativas, mudanças e reajustes, até o momento em que o outro cederá e poderá ser mais breve do que você imagina.

3. Deixe o egoísmo de lado
Pensar somente em si não resolverá o problema. Pense na família e nos objetivos de trazer de volta a paz e a felicidade. Mostre compreensão e que está disposto a dialogar, elogie as qualidades que o cônjuge tem e mostre o quanto isso é importante para você.

4. Ceda algumas vezes
Na tentativa de resgatar o amor será necessário ceder mesmo sabendo que a pessoa está errada, aos poucos ela começará a perceber e admitir de que não estava certa.

5. Arrependa-se
Reconheça seus erros e defeitos e esforce para mudar hábitos que irritam a outra pessoa; gradualmente ela reconhecerá seu sacrifício, mudará o comportamento e buscará corrigir os hábitos que também o irritam.

6. Perdoe
Esqueça as ofensas e discussões do passado e perdoe; trazer de volta os problemas só causará mais mágoas e tristezas, traga de volta momentos felizes e marcantes da sua vida familiar, este é um recomeço.

7. Saiba o que está fazendo
Você saberá se está no caminho certo através das respostas e do comportamento de seu cônjuge, se houver reciprocidade da outra parte às suas atitudes, saiba que o passo para resgatar o amor está bem próximo e a esperança de um recomeço feliz transbordará dentro do seu lar.

8 Seja positivo e ame
Se todo o sacrifício que fizer for com dedicação, comprometimento e amor, você provavelmente alcançará o objetivo do resgate. Acordar com um sorriso e palavras positivas tornará o dia mais feliz.

Ao dar o primeiro passo para trazer de volta o amor dentro do seu lar tudo que estiver ao seu redor será influenciado por suas atitudes, o amor é contagiante e fará com que aquele que você ama, ame também.



Casamento: como mantê-lo nos tempos difíceis?

            
Casamento: como mantê-lo nos tempos difíceis?
Estamos vivendo numa época em que muitos casais lutam para manter seus empregos, suas casas, e seus casamentos. Esses são os momentos em que temos de agarrar-nos um ao outro com uma força grandiosa. Os tempos difíceis passarão, as coisas irão melhorar. Tudo o que temos a fazer é nos manter firmes e seguir em frente juntos.
Muitos anos atrás, compramos uma pequena placa de madeira que achávamos muito engraçada.

Nós ainda a temos, e ela tomou um novo significado várias vezes ao longo da nossa vida juntos. Ela serve como um lembrete bem-humorado de que atravessamos algumas tempestades muito difíceis, e que faremos o melhor para continuarmos assim.
Haverá momentos difíceis na vida de cada casal. Estes tempos podem aproximá-los ou partir seus corações. Se determinarem a si próprios que estão comprometidos um com o outro e com seu casamento, não importam os acontecimentos, não haverá evento difícil algum que o destruirá. A única verdadeira tragédia é um casamento perdido e uma família desfeita.

Aqui estão algumas sugestões para ajudar a passar por tempos difíceis.
Aceite ser confortado, mesmo se você não quiser
Às vezes, quando uma profunda tristeza ou um momento difícil entram em um casamento, um ou outro cônjuge pode colocar uma barreira que destrói a proximidade que desenvolveram. Estresse e tristeza fazem coisas estranhas. Quando você mais precisa de braços amorosos ao seu redor, você pode acabar rejeitando o esforço de seu companheiro em confortar-lhe, e não ser capaz sequer de explicar por que o está rejeitando. Pode ser muito frustrante para a pessoa que está tentando dar esse conforto.
Aceitar abraços e carinho físico

Mesmo que sinta não querer nenhum contato, aceite. O próprio ato de se abrir para um abraço amoroso pode quebrar a barreira e começar a curar um coração partido. Aninhe o outro em seus braços e permita que seu companheiro chore. Se um de vocês não chorar, não critique o que chora, basta manter o abraço, e nunca se acusem mutuamente de indiferença. Abraçar é saudável e traz a cura. É como se a energia do seu companheiro infundisse-lhe forças para continuar, mesmo quando se está em profundo sofrimento.

Cuidem-se
Um notório professor nos contou a história de sua chegada em casa um dia sentindo-se profundamente triste e magoado com o que havia acontecido no trabalho. Ao sentar-se na beira da cama sua esposa lhe perguntou se ele estava bem. Ele sentiu-se incapaz de responder e só conseguia ficar ali sentado e chorar. Sua esposa sentou-se a seu lado segurou-o nos braços, sem dizer uma palavra. Isso foi a melhor coisa que ela poderia ter feito por ele naquele momento. 

Ele contou: "Eu precisava daquele carinho silencioso." Fortalecer um ao outro com abraços de amor e palavras de esperança abençoa seu casamento e sua família. Lembre-se, as coisas vão melhorar.

Abandonar o seu companheiro quando a vida fica difícil é como jogar fora um diamante valioso antes que tenha sido lapidado para alcançar o seu maior brilho. Segurem-se um ao outro através das estações tempestuosas da vida: Quando o céu clarear, vocês terão uma relação mais radiante e bonita do que jamais imaginaram ser possível - uma relação que nunca poderia ter tido toda a profundidade e beleza sem essa luta. É bom lembrar que "o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã." (Salmos 30:5)